Acidez Volátil

A ACIDEZ VOLÁTIL

A Acidez Volátil é um defeito do vinho resultante da oxidação do etanol (álcool) e sua conversão em ácido acético por atuação das bactérias acéticas.

A presença de bactérias acéticas nas adegas é praticamente impossível de impedir, sendo as próprias uvas durante as vindimas uma das principais fontes de propagação. A sua atividade poderá ser minimizada reduzindo o seu contacto com oxigénio, e limitando as condições para o desenvolvimento de ácido acético, o que nem sempre é possível.

A Acidez Volátil é percetível através do aroma e sabor a vinagre (ácido acético) ou do aroma a verniz (acetato de etilo), e é um fator de rejeição do vinho por parte dos consumidores e uma importante causa de perda de valor comercial.

   

PROJETO DE EXPERIMENTAÇÃO ENOLÓGICA

A Wineinova solicitou ao Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) uma autorização provisória para a realização de ensaios e para o estudo da redução de Acidez Volátil em vinhos. No final de 2015, a Wineinova submeteu ao IVV um relatório com os resultados do seu trabalho.

 

Foram objeto deste projeto mais de 500 mil litros, cobrindo vários tipos de vinhos (brancos, tintos e licorosos) e várias regiões de vinícolas de Portugal. Os resultados foram bastante positivos, revelando uma total eficácia na redução de Ácido Acético e de Acetato de Etilo. A Wineinova disponibiliza este relatório mediante pedido para o email: info@wineinova.com

Foi pedida por parte da Wineinova uma renovação do pedido de autorização para continuar o trabalho de aperfeiçoamento do método, trabalho que está em curso neste momento.